Cacique fala sobre incêndio no Parque nacional de Monte Pascoal, sul da Bahia.

Redação - 06/03/2019 - 07:37


Porto Seguro- O Cacique Alfredo Santana Ferreira, da Aldeia Boca da Mata,, concedeu entrevista ao Site Giro de Noticias nesta segunda-feira (04/03), às 10 horas, no acampamento criado como base de controle ao incêndio, no meio do parque, em Porto Seguro. Ele falou sobre as ações de combate ao incêndio no Parque Nacional Monte Pascoal.

A unidade de conservação federal, de gestão do ICMBio, passa pelo pior incêndio desde que a sua área foi ampliada, em
1961 com o objetivo de conservar os ecossistemas que se iniciam na beira da praia até limites geográficos - rios, que circundam o Monte Pascoal, protegendo todo o ambiente natural da região deste marco histórico. O parque, por ter em sua área a presença de indígenas desde antes de seu decreto de criação e, atualmente, parte também ser decretado Terra Indígena da etnia Pataxó.

As operações segundo o Cacique, têm comando unificado composto pelo ICMBio, Ibama, Corpo de Bombeiros e contam com mais de 200 brigadistas e bombeiros, além de uma centena de voluntários.  Dois aviões tanque da Veracel Celulose, homens do Ibama, e dois tratores de esteiras são utilizados no combate, que tem apoio da prefeitura de Porto Seguro.

Com seus 22.383 hectares, o parque possui uma área natural que apresenta uma diversidade de paisagens e belezas cênicas únicas, abrangendo a praia da Aldeia de Barra Velha com águas cristalinas e a vegetação de restinga conservada, o manguezal, as florestas de restinga e as praias pluviais dos rios Caraíva e Corumbau, os campos de Mussununga, único do extremo sul da Bahia, e uma das maiores biodiversidades do planeta, a Mata Atlântica, mais especificamente a floresta denominado Ombrófila Densa.

Os diversos atrativos ecoturísticos existentes no parque proporcionam a realização de diversas atividades recreativas como caminhadas em trilhas e praias, banho de mar ou rio, contemplação da natureza, observação de fauna e flora, canoagem, passeio de barco no rio, participação de manifestações culturais indígenas, vivência do modo de vida local, degustação da culinária indígena, compra de artesanato, entre outras. A visitação aos atrativos do parque é permitida apenas com a presença dos condutores indígenas.

A entrada principal do parque fica localizada na BR 498 Km 0 (acessada pela BR 101 aproximadamente no Km 794) e passa pela Aldeia Pataxó Pé do Montel, onde se localiza a portaria principal do parque. No local há condutores indígenas capacitados, além da venda de artesanato e apresentações culturais.

Adentrando-se ao Parque, logo diversos atrativos podem ser vistos, como: o Monte Pascoal, as trilhas interpretativas da Jendiba e da Arruda, e as trilhas do Jequitibá e do Lugar Sagrado; ambas em manutenção visando o conforto e segurança do visitante e gerando o mínimo de impacto ambiental possível em virtude da visitação.

Segundo o Cacique, os Índios da etnia Pataxó, moradores das aldeias indígenas no entorno do parque, cobraram medidas emergenciais para tentar aliviar o impacto causado pelo fogo. O Cacique  reivindica fornecimento de água mineral, alimentação e a disponibilização de assessoria técnica independente para avaliar os estragos deixado pelo fogo.

Ainda segundo o cacique a área do parque atingida pelo incêndio, carece de uma serie de  ações que devem ser realizadas através dos órgãos e Institutos  ambientais e com a prefeitura municipal de Porto Seguro. “Tem que fazer o reflorestamento dentro do parque  e em outras áreas ao interno do parque que já estavam no nosso projeto ”, explicou o cacique

WhatsApp Giro de Notícias (73) 98160-3777
Adicione nosso número, envie-nos a sua sugestão, fotos ou vídeos.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

Nome:

Texto:

Máximo de caracteres permitidos 500/