Ataque à escola estadual de são Paulo deixa oito mortos, atiradores se matam.

Redação - 13/03/2019 - 13:17


Ataque em uma escola estadual da cidade de Suzano, São Paulo, nesta terça-feira (13/03) onde dois adolescentes encapuzados mataram a tiros oito pessoas ganhou repercussão Internacional. Seis  das vítimas eram estudantes, outra duas eram funcionários da escola. Segundo a polícia  os dois atiradores eram adolescentes  e se mataram em seguida.

Com a morte dos dois atiradores o número de mortos sobe para  dês pessoas. O ataque  a tiros na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, segundo informações da Polícia Militar, pode  ter sido praticado por dois ex-alunos.

O caso ocorreu por volta das 9h30 e  houve correria e muitos estudantes se feriram. Informações da equipe médica no local são de que há ao menos outras 17 pessoas feridas, mas não ficou claro quantas seriam crianças. A escola oferece ensino fundamental e médio e um centro de estudos de língua.

Segundo um vizinho que se identificou como Juliano, o atentado aconteceu pouco após o início das aulas no período matutino. "Moro ao lado, vi um tumulto e fui para lá. Cheguei e estava um tumulto, várias crianças saindo correndo ensanguentadas. Um desespero, professor, funcionário, todos correndo", afirmou.

Foram acionadas seis unidades de resgate do Corpo de Bombeiros, três do Samu, dois de suporte avançado e dois helicópteros águia.

O governador de São Paulo, João Doria, cancelou a agenda e foi para Suzano acompanhar o resgate e atendimento dos feridos. O coronel Marcelo Salles, comandante da Polícia Militar, o general João Camilo de Campos, secretário de Segurança Pública, e Rossieli Soares, secretário de Educação, acompanharão o governador.

O governador João Doria disse estar  muito impactado com o que aconteceu naquela escola, “é uma cena muito triste. A mais triste que vi em toda minha vida. São adolescentes que foram brutalmente assassinados. Aos pais de vítimas e aos feridos, nossa solidariedade", afirmou Doria, que pediu à secretaria de Saúde garantia de apoio psicológico aos atingidos e decretou luto oficial de três dias no estado.

Os adolescentes que abriram fogo dentro da escola, na manhã desta quarta-feira (13), chegaram a escola em um carro branco e com diversas armas, segundo informações da Polícia Militar. Antes de entrarem na unidade de ensino, os jovens chegaram a atirar contra o dono de um lava-rápido, que fica nas proximidades do local.

O comandante do Policiamento Militar de São Paulo, coronel Sales, detalhou o arsenal levado pelos jovens para a escola. “Preliminarmente, foram encontrados peças de plástico para recarregamento de arma, um revólver calibre 38, uma arma medieval com flechas e um arco e flecha. O grupo de ações táticas está dentro [da escola] fazendo uma varredura, pois foram encontrados artefatos que, em princípio, induzem a serem explosivos”, disse o coronel.

O comandante contou ainda que, ao entrarem na escola, os jovens atiraram em funcionárias da unidade. “Eles ingressaram na escola, atiraram contra a coordenadora pedagógica, atiraram em uma outra funcionária. Era a hora do lanche. Eles se dirigiram ao pátio, atiraram em mais quatro alunos do Ensino Médio e dirigiram ao Centro de Línguas. Os alunos se fecharam na sala junto com a professora e eles [os atiradores] se suicidaram no corredor”, contou.

As vítimas estão sendo identificadas e as famílias estão sendo atendidas pela prefeitura local. Segundo o comandante, os nomes serão divulgados para a imprensa somente após a família ser informada.

WhatsApp Giro de Notícias (73) 98160-3777
Adicione nosso número, envie-nos a sua sugestão, fotos ou vídeos.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

Nome:

Texto:

Máximo de caracteres permitidos 500/