Fernando Haddad do PT iniciou sua agenda de campanha no segundo turno visitando o ex-presidente Lula na cadeia em Curitiba.

Redação - 08/10/2018 - 18:36


Após  ir até Curitiba onde o ex-presidente Lula está preso para discutir com as prioridades da campanha presidencial, Fernando Haddad concedeu uma entrevista coletiva e indicou as possíveis alianças para o segundo turno. 

"Vou conversar com as forças democráticas do país, representadas por algumas candidaturas, sim. Citei Ciro Gomes, Guilherme Boulos, estou mantendo contato com alguns governadores do PSB com quem eu tenho longa relação de amizade política. Falei com Paulo Câmara [PE]. Vamos falar com Carlos Siqueira, presidente do PSB. Temos todo o interesse em que as forças democráticas progressistas estejam unidas em torno desse projeto de restauração, de um projeto de desenvolvimento com inclusão social", afirmou Haddad.

Em seu primeiro pronunciamento após o resultado do 1º turno das eleições presidenciais no último domingo, Haddad afirmou que o pacto Constituinte de 1988 "está em jogo" nessas eleições.

"Esta eleição coloca muita coisa em jogo. O próprio pacto da Constituinte de 1988 está em jogo em função das ameaças que sofre quase diariamente", afirmou o candidato petista.

O presidenciável petista chegou ao segundo turno com 29,2% dos votos válidos, atrás de Jair Bolsonaro (PSL), que recebeu 46% dos votos.

 

WhatsApp Giro de Notícias (73) 98160-3777
Adicione nosso número, envie-nos a sua sugestão, fotos ou vídeos.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

Nome:

Texto:

Máximo de caracteres permitidos 500/