Professor de Guaratinga no sul da Bahia é denunciado por tentativa de estupro após tentar agarrar a força jovem dentro do seu local de trabalho.

Giro de Noticias - 01/10/2022 - 12:37


O professor Luiz Rogerio, conhecido por “Luizinho“ da cidade de Guaratinga é suspeito de tentar estuprar uma jovem de18 anos dentro do estabelecimento comercial aonde a jovem trabalha. O caso foi denunciado pelo pai da jovem Hilquias Dias, que gravou um vídeo denunciando o professor e colocou nas redes sociais. 

Segundo as informações do pai da jovem, na quinta-feira 29/09, sua filha sofreu a tentativa de estupro pelo professor “Luizinho” dentro de seu local de trabalho. Segundo ele, o professor adentrou nos estabelecimento comercial onde a jovem trabalha e tentou por diversas vezes cometer o terrível ato a força. A jovem começou a gritar e conseguiu escapar das garra do agressor e correu para pedir ajuda, ela passou mal e foi socorrida por populares que a levaram a mesma ao hospital do município.

Logo após o lamentável fato o pai da jovem procurou a polícia civil e registrou um boletim de ocorrência sobre o ocorrido. Irritado com o acontecido o pai da jovem também gravou um vídeo e divulgou nas redes sociais.

O homem que não foi preso em flagrante está desaparecido. O crime ganhou repercussão nas redes sociais e outros mulheres mães de alunas comentam sobre atitudes suspeitas do professor em salas de aulas.

Entenda outro caso envolvendo o mesmo professor.

Em março de 2022, o mesmo professor chegou a ser afastado de suas funções no colégio estadual Antônio Carlos Magalhães em tabela, após denúncia de assédio sexual contra estudantes.

Na data o professor e diretor do Colégio Estadual ACM em Itabela, Mauro Luiz, disse que recebeu a denúncia contra o professor de educação física, Luiz Rogério, na quinta-feira (10/03/2022), logo em seguida conversou com o mesmo e decidiu pelo seu afastamento até a apuração da denúncia.

A direção contou ainda, que a denúncia foi feita por um estudante e colega das supostas vítimas. Pelo menos 5 estudantes se manifestaram de ter sofrido importunação pelo professor.

Em protesto sobre as atitudes do professor, na época alunos do colégio se reuniram e saíram as ruas com cartazes e grito de ordem pedindo punição ao professor. Mesmo o caso ganhando uma grande repercussão entre os estudantes e nas redes sociais e diante da manifestação, no pátio do colégio e nas ruas com cartazes cobrando as devidas providencias sobre o caso, não houve registro do caso na delegacia e nem punição ao professor por parte dos órgãos competentes.   

Alunos contaram que o professor acusado de assédio, fez fotos de estudantes sem permissão e gravou áudios. As fotos eram feitas segundo eles, de partes do corpo priorizando as pernas e o bumbum. 

A Direção do Colégio Antônio Carlos Magalhaes, em Itabela, afirmou que ao Giro de Notícias na época, que repudia toda e qualquer forma de assédio ou importunação e comunicou que a Diretoria Regional de Ensino da Bahia estava à disposição dos pais e responsáveis pelas alunas para quaisquer esclarecimentos e que aguarda o registro do boletim de ocorrência na Polícia Civil e se colocaria a inteira disposição das autoridades na colaboração da investigação. O caso não foi registrado na polia civil.

A redação do Giro de Notícias falou com o pai da jovem de Guaratinga, Hilquias Dias e tentou contato com o professor mais não obteve êxito. O espaço fica aberto ao professor se haver interesse a se pronunciar sobre as acusações que pesam contra ele.

WhatsApp Giro de Notícias (73) 98118-9627
Adicione nosso número, envie-nos a sua sugestão, fotos ou vídeos.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

Nome:

Texto:

Máximo de caracteres permitidos 500/



Fico indignada q só colocaram os 5 casos desse ano q ocorreu, mais q na verdade é muito mais q isso, fora em 2018 o abaixo assinado q nós alunas fizemos por conta do próprio ficar nos assediando constantemente, esse monstro n pode ficar impune dessa forma n ja deveria estar preso a muito tempo, oq acontece é q passam pano demais pra ele por ele ser "professor" coisa q ja n deveria ser tbm a muitos anos.
Ex aluna

Não dá em nada, aqui teve um vereador que tentou estrupar um jovem, e até agora nada, esqueceram desse assunto
Marco